A Transformação Digital pode dobrar os Resultados do Lean Six Sigma nas organizações

Por quase 20 anos, o Lean Six Sigma exerce papel fundamental no atingimento da excelência em operações. As empresas que combinaram a produção enxuta para eliminar o desperdício com ferramentas Seis Sigma para melhorar a qualidade habilmente superaram a concorrência com custos mais baixos e menos defeitos. Agora, à medida que as tecnologias digitais proliferam, muitas empresas buscam aumentar seus ganhos de eficiência e essa integração pode potencializar resultados.

Com muita frequência, no entanto, vemos empresas lançarem iniciativas digitais que estão desconectadas dos esforços do Lean Seis Sigma. Essa é uma oportunidade perdida. A integração de tecnologias digitais em um sistema Lean Six Sigma pode turbinar os benefícios de ambos. Conforme dados fornecidos pela consultoria Bain & Company, a implementação tradicional do Lean promove nas empresas que aplicam estratégicamente essa abordagem até 15% de economia de custos globais. De acordo com um novo relatório, as empresas que usam ferramentas digitais para aprimorar os esforços do Lean Seis Sigma geram até 30% ou mais em redução de custos com um tempo de retorno de investimento ainda mais rápido.

A abordagem metodológica do Lean Seis Sigma é altamente orientada a dados e promove ums discussão sobre o entendimento das fontes de variação do processo e os motivos do baixo desempenho bem como eliminação de desperdícios. Agora, com a revolução digital, será possível fazer isso sem necessidade de planos amostrais que consomem tempo e energia. Inclusive, a partir disso podemos fazer um grande paralelo entre os especialistas em Lean Seis Sigma e os raríssimos e requisitados Cientistas de Dados (ver artigo que escrevi sobre o tema).

Em 2020, a quantidade de dados gerados anualmente será 40 vezes maior do que em 2015, e o número de dispositivos conectados dobrará durante o mesmo período. As ferramentas digitais aproveitam os dados e a conectividade para atacar o mesmo tipo de desperdício que a manufatura enxuta enfrenta, ou seja, transporte, estoque, movimento, espera, superprocessamento, superprodução e defeitos. Eles também melhoram a segurança do trabalhador.

Já havia comentado em artigo anterior que não é possível imaginar sua iniciativa de Transformação Digital, principalmente para serviços, sem considerar as áreas de Processos, Qualidade e Lean Seis Sigma (ver artigo que escrevi sobre isso). Isso também vale para a indústria.

Imaginemos o seguinte exemplo: Uma empresa qualquer que enfrenta um número crescente de quase acidentes, à medida que o risco de acidentes aumenta em seu chão de fábrica. Um time de Lean Seis Sigma identifica que o problema é o grande número de empilhadeiras e veículos de transporte que cruzam o chão de fábrica. Para mitigar os riscos, a empresa tem como única alternativa treinar sua equipe e desacelerar o ritmo das empilhadeiras, o que fará com que os materiais não consigam chegar às linhas de produção a tempo, impactanto eficiência e qualidade em todo o processo.

Pensando de forma integrada, poderíamos usar uma abordagem que une empilhadeiras guiadas autônomas e robôs colaborativos. Ou até mesmo integrar as empilhadeiras, através de IoT à nuvem. Essas ações reduzem não só o risco de incidente como possibilitam a criação de um mapa de calor com o histórico de tempos e movimentos para avaliação da movimentação, do layout e identificação de desperdícios e fontes de variação. Além disso, a empresa pode padronizar as tarefas dos operadores e controlar de forma mais inteligente e em tempo real. Por melhor que seja o seu digrama de espaguete, dificilmente alcançaríamos o mesmo poder de análise no projeto Lean Seis Sigma sem Digitalização dos dados.

Além disso, a análise preditiva e o aprendizado de máquina são ferramentas digitais poderosas que podem aprimorar a capacidade do Lean Seis Sigma de reduzir defeitos e produzir produtos melhores de maneira mais consistente. Tradicionalmente, as empresas confiam em especialistas profissionais em Lean Seis Sigma para executar modelos de simulação off-line para identificar oportunidades de melhorias de processos e reduzir defeitos. Os líderes agora usam sensores para permitir a amostragem em tempo real e o software de simulação em tempo real para otimizar os cronogramas de produção. Digital Twins possibilitam DOE sem riscos e avaliando toda a cadeia de valor.

Em absoluto existe dicotomia entre Transformação Digital e Lean Seis Sigma, pelo contrarário. Basta entender que a primeira abordagem trata dos insumos, das informações e das integrações e a segunda da abordagem metodológica para avaliação do cenário e proposição de ações para melhoria contínua.